Search on blog

Information

Novos produtos

Promoções

  • VOZ SEM ECO
    VOZ SEM ECO

    Envio GRÁTIS para Portugal.

    10,80 € -10% 12,00 € Com IVA

As nossas lojas

As nossas lojas

Praça do Príncipe Real em Lisboa

Feed RSS

Não existe um feed RSS disponível

Autores Existem 4 produtos.

Subcategorias

  • Adolfo Maria
  • Albano Cardoso

    Albano Cardoso (Maio, 4, 1966 – Luanda)
    É pai duas vezes, e tem um neto.
    Viveu em Luanda, Lisboa, Ann Arbor, Díli, Melbourne.
    Foi atleta da seleção nacional em Angola de Andebol, em todas as categorias. Frequentou a faculdade de Literatura, Ciências e Artes, na Universidade de Michigan, nos E.U.A. Tem formação pedagógica, vertente línguas, do Instituto Normal de Educação de Luanda. Lecionou no Liceu Mutu ya Kevela, em Luanda.
    Editou poesia, fotografia e história (sociológica) desportiva, em Angola.

    Albano nasceu em Luanda, e até altura em que ganhou uma bolsa de estudos para os Estados Unidos da América, viveu nesta cidade envolvido numa particular sinergia de interação social, trazida desde o furor da independência nacional de 1975.
    É escritor, e desenvolve igualmente trabalho de artes plásticas, incluindo fotografia, e sob a qual plataforma, é inclusive, autor do álbum-fotográfico Under Surveillance-Sob Vigilância.
    Produziu, de forma independente, todas as suas obras, no interesse de promover a liberdade criativa e a diversidade do produto livro, no mercado local.

    .  Atlético Petróleos de Luanda – Uma História Desportiva
    . Tic-Tacteando o Florescer da Idade
    . Under Surveillance – Under Surveillance

  • António Alberto Neto

    António Alberto Neto, nasceu em Luanda no distrito de Sambizanga  em 16 de Junho de 1943, de pai e mãe natos também em Angola.
    O fundador do FUGN e criador da bandeirado MPLA, bem cedo assumiu na clandestinidade, o seu indesmentível apoio à luta para a liberdade e democracia para Angola, Portugal e outros povos coloniais. Representante do MPLA na Suécia  e países nórdicos  da Europa.


    Pan-africanista associou-se sempre às justas causas internacionais, dos trabalhadores, intelectuais e classes exploradas no mundo, a favor da justiça social, paz e liberdade
    e direitos humanos. Prisioneiro de consciência da Amnistia Internacional  em 1981-1982 em Angola, foi candidato às eleições presidenciais em 1992. Professor universitário, escritor e presidente fundador do Partido Democrático Angolano.

    Sempre ao serviço do Povo Angolano.

  • António Feijó Júnior
  • António Pinto

    Natural de Angola (Gabela-Amboim, província de Cuanza-Sul), nasceu em 11 de Dezembro de 1937, filho de pai português e mãe angolana. Tendo-se revelado, logo na infância, um aluno aplicado e piedoso, o pai julgou-o com vocação para o sacerdócio. Feita a instrução primária em Porto Amboim, fê-lo ingressar no seminário arquidiocesano de Luanda em 1951.

    Depois da morte do pai em 1955 deixou o seminário e seguiu para Portugal, onde fez o curso geral dos liceus (5º ano) em 1957, no Liceu Nacional da Guarda, terra natal do seu progenitor. Regressado a Angola em 1958, prestou serviço militar no exército, no período de 1959/1963, que coincidiu com a eclosão da Luta Armada de libertação de Angola e da Guerra Colonial. Em 1963, após passar à disponibilidade, ingressou no funcionalismo público ultramarino, concluindo em 1967 o curso complementar dos liceus no liceu Salvador Correia, em Luanda. Espírito apaixonado desde muito cedo pelos problemas da sua terra (Angola), sobretudo económicos e sociais, vivendo-os sempre com grande intensidade e de forma permanente, a sua obra "13 Anos de Luta Armada. Porquê? que publicou em Luanda em 1974, aos 38 anos de idade, foi a consagração das suas angústias e preocupações, no período histórico e conturbada transição da colónia de Angola para a sua independência, a 11 de Novembro de 1975. Hoje, com 76 anos, está reformado e em 2010 licenciou-se em Direito com distinção pela Universidade Independente de Angola (UniA). Como jornalista entre 1998 e 2012 publicou para cima de 500 trabalhos na imprensa local, repartidos entre o Correio da Semana, Jornal de Angola e Semanário Agora. É docente universitário, consultor jurídico e advogado, inscrito na Ordem dos Advogados de Angola (OAA).

  • Armindo Laureano
  • Augusto Cassul
  • Cuca (Rui Manuel)
  • Duarte Carvalho
  • Eugénio Inocêncio...
  • Filomena Barata

    Filomena Barata nasceu em Luanda, Angola, a 18 de Maio de 1957.
    Licenciada em História pela Faculdade de Letras de Lisboa e concluiu o Mestrado de Arqueologia na Faculdade de Letras do Porto.
    Técnica Superior do Museu Nacional de Arqueologia da Direcção Geral do Património Cultural do Ministério da Cultura, onde já exerceu um vasto con­junto de funções.
    É autora de uma obra considerável no domínio do Património Cultural.

  • Gildo Matias José

    -

  • Igor de Jesus
  • Inocência Mata

  • Isabel Guerra
  • Jaime de Sousa Araújo
  • João Ngola Trindade
  • Jonas Nazareth
  • Jonuel Gonçalves

    Angolano, economista, começou por escrever panfletos num grupo estudantil clandestino, no início da luta pela independência. Depois acrescentou artigos em jornais e revistas. Em 1991 com a abertura em Angola, publicou o seu primeiro livro, um ensaio-reportagem sobre a guerra . Mas a guerra voltou e ele só voltou a ter paz para escrever o segundo em 2002, publicado em 2007. Mas depois nunca mais parou, como também não parou de nomadizar entre Angola, Brasil, Portugal, etc. Este é o seu décimo livro (ficção e não ficção), dois dos quais também já publicados em Portugal: “A Ilha de Martim Vaz” e “Franco atiradores”

  • Jorge Esteves
  • Jorge Sales Golias
  • José Carlos Fernández

    -

  • José Maria Pimentel
  • Luís Gaivão
  • Marcolino Moco
  • Mário de Carvalho
  • Miguel Anacoreta Correia
  • Nazário Muhongo
  • Nuno Madeira Rodrigues

  • Palmira Morais Rocha...

    -

  • Paula Gabriel Mouta
  • Popoleta
  • Shafu Duchaque
  • Smil Dende
  • Tarisaval
  • Tomás Lima Coelho
  • Tosé Figueiredo

    António José Pereira de Figueiredo nasceu em 1933, nas terras de Otchinjau e de Curoca, no sul de Angola.

    Desde muito novo, Tosé Figueiredo percorreu o imenso mato angolano, pelo que o seu produto literário provém do substrato da rememoração advinda das condições da diáspora e do seu inalterável amor por Angola e pela gente angolana.

    O seu trabalho, escrito sem lágrimas e sem ressentimentos, antes com tolerância e profunda ironia, torna, assim, cada missanga de silêncio numa história que vem à tona com as mirabolâncias de um salalé, ao fim da tarde, ou ainda como os cogumelos que, em busca de ar fresco, surgem de arrojo, logo depois da eteya-ua-soke, a Chuva Tomba Capim.

  • Wilton Fonseca
  • Wylsony dos Santos
  • Vasco Pontes
  • Ventura de Azevedo
  • Xavier de Figueiredo
Mostrando 1 - 4 de 4 itens
Mostrando 1 - 4 de 4 itens